O vidro é 100% reciclável e deve ser reaproveitado

Quando foi a última vez que você comprou uma bebida em garrafa de vidro reutilizável? Sabemos que ainda existem diversas opções disponíveis, mas o consumo de bebidas em recipientes de vidro estão cada vez mais escassas. Hoje, as embalagens de plástico e de alumínio são as mais presentes, apesar de nossa crescente consciência ambiental.  O vidro é 100% reciclável e deve ser reaproveitado.

COMO ERA ANTES?

Até o início do século, garrafas de vidro retornáveis ​​ou recicláveis eram mais comuns. Mas, naquela época, a prática de devolver garrafas não tinha nada a ver com sustentabilidade ou preservação do meio ambiente. Os motivos pelos quais os consumidores eram incentivados a devolver as garrafas de vidro ao vendedor que, por sua vez destinavam novamente ao fabricante, eram o preço e a dificuldade no processo de fabricação. As garrafas eram, portanto, consideradas propriedade da empresa, e os consumidores as devolviam para serem recarregadas e reutilizadas.

Com o passar do tempo a garrafa de vidro foi ofuscada pelo modelo de plástico, pois era muito mais fácil e barato transportar com segurança. As garrafas de plástico foram consideradas mais leves, resistentes à quebra e, portanto, superiores em todos os aspectos quando comparadas às de vidro. Só que o impacto ambiental não era considerado.

 

Leia também: Cuidar do meio ambiente é cuidar da nossa qualidade de vida

VOLTANDO AO PRESENTE

Hoje temos uma nova realidade. Com o aumento do consumo de bebidas e alimentos em frascos de vidro no Brasil, especialmente durante a pandemia do COVID-19, produtores estão reclamando da falta de produto, um fato recorrente para a indústria, que sente dificuldade em ter recipientes para envasar e armazenar seus produtos.

As garrafas e frascos vazios estão se tornando cada vez mais raras, um problema que atinge especialmente cervejarias, vinícolas e cachaçarias independentes, de menor porte. Os fornecedores não estão conseguindo atender novos clientes de maneira satisfatória, restringindo o fornecimento. Segundo o jornal Valor Econômico, o déficit de garrafas de vidro no Brasil está em torno de 400 mil toneladas por ano, cerca de 25% do setor.

POR QUE FALTAM GARRAFAS?

Como o mercado de garrafas de vidro trabalha com déficit, depende de importações para atender à demanda interna. As grandes indústrias aumentaram os pedidos, e as indústrias brasileiras de vidro passaram a trabalhar para clientes específicos, geralmente grandes indústrias, que se prepararam antecipadamente para o aumento de consumo no verão e nas festas de fim de ano.

Assim, produtores independentes de cerveja, vinho e cachaça, que também têm aumento de demanda nessa época do ano, sentem dificuldades em encontrar embalagens para envazar seu produtos. Como dizemos na linguagem popular, a corda sempre arrebenta no lado mais fraco.

COMO É FEITO O VIDRO?

A fórmula do vidro contém areia de sílica, sódio e cálcio. Além destes três materiais também há a inclusão de magnésio, alumina e potássio, todos encontrados na natureza.

Esses materiais vão para um forno industrial de alta temperatura, próxima a 1.600ºC, onde ocorre o derretimento até que a composição se torne um único líquido viscoso. Ainda no estado líquido, vai para uma banheira de estanho que, por ser mais denso, faz com que o vidro flutue e fique completamente plano.

Dentro da banheira há roletes que são responsáveis por determinar a espessura do vidro. Quanto mais rápido eles giram, menor a espessura. Com o formato e a espessura já definidos, é hora de resfriar o vidro, primeiro numa câmara de recozimento e depois ao ar livre.

Já para a produção de novas garrafas, o vidro líquido e altíssima temperatura é colocado dentro de moldes. Ainda maleável, ele é cortado e recebe o sopro final para então ganhar o formato das embalagens.

VANTAGENS DA RECICLAGEM

Em média as garrafas de vidro são compostas em cerca de 60% de vidro reciclado. Dependendo da cor, esse percentual ainda pode chegar a 90%. Dessa forma, resíduos de vidro são uma importante fonte de matéria-prima para a fabricação de novas embalagens.
A reciclagem, além de poupar uma boa parte dos recursos naturais, também consome menor quantidade de energia e emite menos material poluente, tornando-se de extrema importância para o meio ambiente. O material deixa de ir para os aterros sanitários ou para a natureza (rios, lagos, solo, matas). Outro fator que não podemos esquecer é que a reciclagem serve como gerador de renda para milhares de pessoas, que atuam principalmente em cooperativas de catadores e centros de reciclagem.

TIPOS DE VIDROS RECICLÁVEIS

Garrafas de sucos, refrigerantes, cervejas e outros tipos de bebidas;
Potes de alimentos;
Cacos de vidros;
Frascos de remédios;
Frascos de perfumes;
Vidros planos e lisos;
Vidros de janelas;
Pratos, tigelas e copos

TIPOS DE VIDROS NÃO RECICLÁVEIS

Vidros temperados
Espelhos
Vidros de automóveis
Tubos de TV e monitores de computador

COMO DESCARTAR?

Não descarte o vidro em lixo comum, coloque na lixeira dos recicláveis, e pense nos trabalhadores da coleta e transporte do lixo. Embalar corretamente o vidro quebrado faz toda a diferença para a segurança de quem leva seu lixo embora.

Se os cacos de vidro forem pequenos, você pode utilizar uma garrafa PET ou uma caixa de papelão para embalá-los. Depois de fazer isso o vidro deve ser destinado ao lugar correto para garantir que seja reciclado. Fique atento no dia em que a coleta seletiva de material reciclável passa pela sua rua. Você pode também levar a um posto de coleta e reciclagem mais próximo da sua casa.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *